A prefeitura de Santa Rosa do Purus promove o 1º Seminário étnico em defesa da vida das mulheres


Dispositivo de Honra. Foto: Samuel Lima/ASSCOM.

A prefeitura de Santa Rosa do Purus, por meio da Coordenadoria das Mulheres e Promoção da Igualdade Racial, em parceria com a Secretaria de Empreendedorismo e Turismo, nesta quarta-feira, 25, promoveu o 1º Seminário Étnico: Em defesa da vida da mulher em Santa Rosa do Purus.

O seminário foi realizado na escola Estadual Padre Paulino Maria Baldassari. Dessa forma, o evento foi marcado ainda pelas apresentações culturais da etnia kaxinawá às autoridades municipais e ao público presente.

Apresentação Cultural Etnia Kaxinawá. Foto: Samuel Lima/ASSCOM.

Em uma demonstração de compromisso com a defesa da vida das mulheres do município, a prefeitura de Santa Rosa do Purus, em parceria com a Secretaria de Empreendedorismo e Turismo trouxeram a debate as seguintes palestras: A mulher empreendedora com Luiz Baraúna – chefe da divisão de promoção, feiras e eventos da SEE; Empoderamento feminino com Jauricia Ferreira – chefe do departamento de planejamento da SEE; Violência doméstica, com a CB Roseli FAssabe - policia militar do estado do Acre e a Mulher na política com a Vereadora Marlene Kaxinawá e Márcia Maria, Controladora Interna.

Estiveram presentes servidores públicos da prefeitura municipal de Santa Rosa do Purus e a representante das mulheres a vereadora da Câmara Municipal, Marlene Kaxinawá.

Compuseram o dispositivo de honra, a primeira-dama, Maria Meres Silva, presidente da câmara municipal, Dênnis Augusto Kaxinawá, a vice-presidente do conselho municipal de promoção da igualdade racial, Angélica Kaxinawá, secretário municipal indígena, Edileuso Kaxinawá, coordenador técnico local da Funai, Francisco Domingos da Silva, 2º Ten PM CMT do 2º PEL DEST 8º BPM, Raimundo Oliveira Wanderley, CB da polícia militar do estado do Acre, Roseli Fassabe e a chefe do departamento de planejamento da SEE, Jauricia Ferreira.

Palestrante Luiz Antônio Baraúna - SEE. Foto: Samuel Lima/ASSCOM.

Qual a relação do empreendedorismo com a defesa da vida da mulher? Essa foi a pergunta feita pelo palestrante, Baraúna. A partir dessa pergunta foi levantada a problemática existente da violência que as mulheres sofrem no cotidiano, não se limitando em Santa Rosa do Purus, mas em todo o território brasileiro. Nesse sentido, são vários tipos de agressões, como: patrimonial, psicológica, física, sexual dentre outras. “Com isso, muitas mulheres sofrem esses tipos de agressões em casa e não tomam iniciativa de denunciar. Por outro lado, ficam caladas, sem dizer nada, não procuram um policiamento e uma ajuda, porque dependem financeiramente do marido, pois elas pensam muito nos filhos e aguentam caladas. Inventam desculpas dos hematomas no corpo. Dessa forma, é aí que entra a grande importância do empreendedorismo, onde a mulher se reinventa, procurando, com isso, montar o seu próprio negócio, com intuito de gerar uma renda para a sua família, e, consequentemente, não depender da renda do marido. Dessa maneira, a palestra foi voltada sobre a suficiência financeiramente da mulher, ganhar confiança para ela ter uma sustentabilidade da sua vida, tanto para ela quanto para os filhos, declarou o chefe da divisão de promoção, feiras e eventos da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo, Luiz Baraúna.”

Baraúna destacou, também, que em Santa Rosa do Purus existem exemplos de mulheres empreendedoras. “Hoje mesmo tive visitando uma cabeleireira a Rosana, ela estava me falando que ganha entre 100 à 150 reais em média por dia, assim como a D. Jomara que vende comida e guloseimas, isso são mulheres empreendedoras que movimentam a economia local.”

Palestrante CB PM do Estado do Acre, Roseli Fassabe. Foto: Samuel Lima/ASSCOM.

A CB da Polícia Militar do estado do Acre, Roseli Fassabe, “destacou sobre os tipos de violência doméstica com ênfase ao recorde para desigualdade de gênero, assim como explanou sobre a lei Maria da Penha – conscientizando sobre os tipos de condutas dos agressores que podem ser criminalizadas através desse dispositivo legal. Além disso, Fassabe colocou-se a disposição de todas as mulheres para mais esclarecimentos na delegacia de Santa Rosa do Purus no que tange as medidas protetivas e outras temáticas.”



0 comentário